Cresça na carreira, “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço”

O filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” (Role Models) é uma comédia que nos mostra como uma mentoria inesperada pode impactar o crescimento de carreira de uma pessoa.

"Faça o Que Eu Digo, Não Faça", uma mentoria inesperada e surpreendentePrincipais dicas do filme

Neste artigo, iremos explorar as principais dicas que o filme nos apresenta sobre o tema, através de cenas marcantes, exemplos práticos e citações de outros especialistas no assunto.

1. Autoconhecimento

  • Cena: No início do filme, os protagonistas são obrigados a participar de um programa de mentoria para evitar a prisão. Eles são designados como mentores de dois adolescentes com personalidades muito diferentes das suas.
  • Exemplo prático: O personagem principal, interpretado por Paul Rudd, percebe que precisa trabalhar em suas próprias questões emocionais para ser um bom mentor.
  • Citação: “O autoconhecimento é fundamental para o crescimento de carreira. Conhecer seus pontos fortes, limitações e emoções é essencial para ser um líder eficaz.” – John C. Maxwell

2. Comunicação

  • Cena: Durante o filme, os mentores têm dificuldades para se comunicar com os adolescentes, já que são de gerações diferentes e têm interesses diversos.
  • Exemplo prático: Para superar essa barreira, eles buscam interesses comuns e aprendem a se comunicar de forma mais eficaz, adaptando-se ao estilo de cada jovem.
  • Citação: “A comunicação clara e eficaz é a chave para uma liderança de sucesso. Adaptar-se ao estilo de comunicação das pessoas ao seu redor é essencial para obter resultados positivos.” – Simon Sinek

3. Flexibilidade

  • Cena: Durante o programa de mentoria, os mentores percebem que suas abordagens rígidas não estão funcionando com os adolescentes. Eles precisam aprender a ser mais flexíveis em suas estratégias.
  • Exemplo prático: Os mentores se adaptam aos interesses e necessidades dos jovens, proporcionando um ambiente mais acolhedor, criativo e divertido.
  • Citação: “Ser flexível em suas abordagens é essencial para garantir o crescimento de carreira. O mundo corporativo está em constante mudança e você precisa se adaptar às novas demandas e desafios que surgem.” – Brian Tracy

4. Paciência

  • Cena: Ao longo do filme, os mentores enfrentam várias situações desafiadoras, nas quais é necessário ter paciência para lidar com os comportamentos rebeldes e imprevisíveis dos adolescentes.
  • Exemplo prático: Eles aprendem a controlar suas próprias frustrações e impaciências, entendendo que cada pessoa tem seu próprio ritmo de aprendizado e desenvolvimento.
  • Citação: “A paciência é uma virtude quando se trata de uma jornada de crescimento de carreira. É importante reconhecer que as mudanças nem sempre são rápidas ou lineares, e que cada passo é valioso.” – James Clear

5. Empatia

  • Cena: Os mentores descobrem que, para realmente ajudar os adolescentes, é necessário entender suas histórias de vida, suas dificuldades e suas emoções.
  • Exemplo prático: Eles se colocam no lugar dos jovens, buscando compreender suas perspectivas e oferecendo apoio emocional.
  • Citação: “A empatia é uma habilidade fundamental para desenvolver relacionamentos sólidos e construtivos no ambiente profissional. Ao entender e se conectar com as emoções dos outros, você cria laços mais profundos e duradouros.” – Brené Brown

6. Resiliência

  • Cena: Os mentores enfrentam diversas situações difíceis ao longo do filme, mas não desistem de seus propósitos e continuam a apoiar os adolescentes.
  • Exemplo prático: Eles aprendem a lidar com as adversidades, buscando soluções criativas e nunca perdendo de vista seus objetivos.
  • Citação: “A resiliência é uma qualidade essencial para enfrentar os desafios da carreira. É preciso ter a capacidade de se adaptar, superar obstáculos e seguir em frente, mesmo diante das adversidades.” – Angela Duckworth

7. Educação contínua

  • Cena: Ao perceberem que precisam aprofundar seu conhecimento sobre os adolescentes e suas necessidades, os mentores buscam informações e orientações.
  • Exemplo prático: Eles pesquisam, leem livros e participam de workshops, aprimorando constantemente suas habilidades como mentores.
  • Citação: “A educação contínua é essencial para o crescimento de carreira. A busca por conhecimento e o desenvolvimento de novas habilidades são fundamentais para se manter atualizado e relevante no mercado de trabalho.” – Tony Robbins

8. Aprendizado mútuo

  • Cena: Os mentores percebem que também estão aprendendo com os adolescentes, que trazem perspectivas e ideias diferentes para suas vidas.
  • Exemplo prático: Eles reconhecem a importância de estar aberto para aprender com pessoas de diferentes idades e experiências, enriquecendo seu próprio crescimento pessoal e profissional.
  • Citação: “O aprendizado mútuo é um processo poderoso para o crescimento de carreira. Ao estar aberto para ouvir diferentes vozes e perspectivas, você expande seu próprio conhecimento e desenvolve uma visão mais ampla do mundo.” – Mark Manson

9. Administração de conflitos

  • Cena: Durante o filme, os mentores precisam lidar com conflitos entre eles e os adolescentes, buscando maneiras construtivas e saudáveis de resolver as diferenças.
  • Exemplo prático: Eles aprendem técnicas de comunicação não-violenta, escuta ativa e negociação, visando a resolução dos conflitos de forma benéfica para todas as partes envolvidas.
  • Citação: “A habilidade de administrar conflitos é crucial para o crescimento de carreira. A capacidade de resolver divergências e encontrar soluções que atendam aos interesses de todos é um diferencial importante.” – Dale Carnegie

10. Reconhecimento e gratidão

  • Cena: No desfecho do filme, os mentores e os adolescentes têm a oportunidade de expressar sua gratidão e reconhecimento pelo impacto positivo que cada um teve na vida do outro.
  • Exemplo prático: Eles valorizam e celebram as conquistas pessoais e profissionais alcançadas por meio dessa mentoria inesperada.
  • Citação: “O reconhecimento e a gratidão são poderosas ferramentas para motivar e fortalecer equipes no ambiente de trabalho. Ao valorizar o esforço e as contribuições de cada indivíduo, você cria um ambiente positivo e produtivo.” – Gary Vaynerchuk

"Faça o Que Eu Digo, Não Faça", uma mentoria inesperada e surpreendenteEstudo de caso:

Como João conquistou novas oportunidades com o filme “Faça o que Eu Digo, Não Faça o que Eu Faço”

Um estudo de caso relevante para o crescimento na carreira profissional é o de João, um jovem profissional em busca de novas oportunidades. João estava estagnado em sua carreira e não sabia o que fazer para dar um passo adiante. Foi então que ele teve a oportunidade de participar de um programa de mentoria inesperada, onde foi designado como mentor de um profissional sênior que havia passado por uma transição de carreira.

Durante sua mentoria, João aprendeu lições valiosas que contribuíram significativamente para o seu crescimento profissional. Ele percebeu a importância do autoconhecimento, buscando entender suas habilidades e interesses para direcionar sua carreira de forma mais assertiva. Além disso, aprendeu a se comunicar de maneira eficaz, adaptando sua linguagem de acordo com o perfil de cada pessoa com quem interagia.

João também desenvolveu a habilidade de ser flexível em suas abordagens, adaptando-se rapidamente às mudanças do mercado e criando soluções inovadoras para problemas complexos. Ele cultivou a paciência, entendendo que o crescimento profissional é um processo gradual e contínuo, e que cada etapa é importante para o aprendizado e desenvolvimento.

Através da mentoria, João desenvolveu empatia, aprendendo a se colocar no lugar dos outros e compreender suas necessidades e perspectivas. Ele também aprimorou sua resiliência, enfrentando desafios com determinação e encontrando soluções mesmo diante de obstáculos.

João reconheceu a importância da educação contínua, buscando oportunidades de aprendizado e desenvolvimento profissional. Além disso, ele abraçou o aprendizado mútuo, buscando inspiração e conhecimento em pessoas de diferentes idades e níveis hierárquicos.

Ao longo de sua mentoria, João aprendeu a administrar conflitos de forma eficaz, buscando soluções construtivas e valorizando o diálogo. Por fim, ele entendeu a importância do reconhecimento e da gratidão, celebrando suas conquistas e valorizando a contribuição de seus colegas.

Lição-chave

A principal lição trazida pelo filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” é a importância da mentoria para o crescimento de carreira. Através das experiências dos protagonistas, podemos extrair 10 pontos de ação práticos:

Pontos de ação:

1. Busque o autoconhecimento: conheça suas habilidades, pontos fortes e limitações para direcionar sua carreira de forma mais assertiva
2. Comunique-se de forma eficaz: adapte sua linguagem e estilo de comunicação de acordo com as pessoas com as quais interage
3. Seja flexível em suas abordagens: esteja aberto a mudanças e crie soluções inovadoras para os desafios que surgirem
4. Cultive a paciência: entenda que o crescimento profissional é um processo gradual e que cada etapa é importante para o aprendizado
5. Desenvolva empatia: coloque-se no lugar dos outros e compreenda suas necessidades e perspectivas
6. Seja resiliente: enfrente desafios com determinação, buscando sempre soluções criativas


7. Invista em educação contínua: busque oportunidades de aprendizado e desenvolvimento profissional
8. Aprenda com os outros: esteja aberto para ouvir diferentes vozes e perspectivas, enriquecendo seu conhecimento
9. Administre conflitos de forma eficaz: busque soluções construtivas através do diálogo e da negociação
10. Reconheça e seja grato: valorize suas conquistas e a contribuição dos outros para o seu crescimento

"Faça o Que Eu Digo, Não Faça", uma mentoria inesperada e surpreendenteO que você precisa saber sobre:

“Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço”

O filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” nos apresenta valiosas lições sobre como uma mentoria inesperada pode impactar o crescimento de carreira de uma pessoa. Através de dicas práticas e exemplos do filme, podemos explorar diferentes aspectos que contribuem para o desenvolvimento profissional.

Seja através do autoconhecimento, comunicação eficaz, flexibilidade ou resiliência, cada uma dessas dicas pode ser aplicada em nossa vida profissional, ajudando-nos a alcançar nossos objetivos de carreira.

Tirando dúvidas sobre:

“Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço”

“Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” oferece insights valiosos para avançar na carreira. Confira abaixo as respostas para as principais dúvidas sobre este filme, que podem ajudar a acelerar o seu progresso profissional.

1. Qual é a mensagem-chave do filme quanto ao comportamento profissional e sua aplicação no ambiente de trabalho?

O filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” aborda a importância da coerência entre discurso e ação no ambiente profissional. A mensagem fundamental é que o exemplo pessoal é crucial para influenciar positivamente as equipes. No contexto profissional, a consistência entre o que é dito e o que é feito gera credibilidade e confiança.

2. Como posso aplicar os ensinamentos do filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” na minha carreira para alcançar um crescimento profissional?

A aplicação desses ensinamentos ocorre por meio da prática da integridade e autenticidade no dia a dia. Além disso, demonstrar alinhamento entre valores proclamados e comportamento real fortalece a credibilidade, constrói relacionamentos sólidos e inspira confiança.

3. Por que a consistência entre ensinar e praticar é tão crucial no ambiente de trabalho?

A consistência reforça uma cultura de confiança e respeito mútuo. Quando líderes e colegas demonstram congruência entre suas palavras e ações, isso não apenas motiva os outros, mas também cria um ambiente de trabalho mais coeso e produtivo.

No filme “Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço” esse ensinamento é abordado e aplicá-lo em sua vida profissional observará uma tendência de liderança em seu comportamento e rotina.

4. Como posso evitar contradições entre o que ensino e o que pratico no trabalho?

Manter-se consciente das próprias ações e valores é essencial. Isso requer uma avaliação constante para alinhar continuamente as atitudes com as orientações profissionais, garantindo congruência e coerência.

5. De que forma a coerência entre ensinar e praticar influencia a percepção sobre líderes e colegas de trabalho?

Líderes consistentes inspiram confiança e segurança, enquanto colegas autênticos fortalecem os laços interpessoais. Essa consistência cria um ambiente de trabalho mais sólido, positivo e motivador, refletindo-se na produtividade e na satisfação geral da equipe.

Compartilhe esse artigo

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
[adinserter block="4"]

Sumário

[adinserter block="5"]

Artigos Relacionados